08/03/2009

Desafios da mulher moderna no século XXI

"Que poder é esse que a família e os homens têm sobre o corpo das mulheres ? Ontem, para mutilar, amordaçar, silenciar. Hoje, para manipular, moldar, escravizar aos estereótipos. "
(Rita Lee)

Leia texto na íntegra.



Em 1975 a Organização das Nações Unidas (ONU) oficializou o dia 08 de março como Dia Internacional da Mulher, em homenagem às 130 mulheres incendiadas em manifestação em prol de melhores condições de trabalho, em uma fábrica de tecidos lá no início do século XX.

O fato mostra o quanto a mulher recém-chegada ao mercado de trabalho sofria fortes repressões. Quase cem anos depois - apesar de todas as conquistas obtidas - a mulher ainda é vítima de preconceito, desrespeito e desigualdade dentro da sociedade contemporânea. Para o cientista político Diogo Tourino (foto abaixo), falar em opressão no século XXI é um rótulo abrangente.

As mulheres conseguiram sair de casa, enfrentar o mercado de trabalho, conquistar independência financeira, mas ainda não podem se dizer iguais aos homens. "As questões relacionadas à casa, ou seja, à reprodução da vida em sociedade ainda estão muito concentradas nas mulheres, aspectos domésticos ainda estão sob os cuidados delas", diz Tourino.

As mulheres se livraram do avental sujo de ovo, mas não escapam de quebrá-los. Hoje ela tem que fazer o mesmo bolo de antes, mais as outras atividades profissionais. Para Tourino "imaginar que tarefas mínimas como quem vai cuidar das crianças e quem vai colocar o sustento para a família ainda é uma questão circunscrita a um papel vinculado ao sexo é colocar em questão se a mulher, de fato, conseguiu a sua emancipação nos anos 60".

Boa esposa, boa mãe, boa dona de casa, boa profissional, linda, bem arrumada, perfumada, magra e com o cabelo impecável. Todas essas são exigências feitas à mulher moderna. E a sociedade se orgulha, bate no peito para dizer que a mulher conseguiu se livrar da opressão que a tolhia décadas atrás.


Para a jornalista Cláudia Lahni (foto ao lado) existem duas saídas para essa situação de desigualdade entre homens e mulheres. Uma diz respeito à participação feminina em entidades que lutem por mudanças em relação às mulheres. A outra questão é relativa a uma postura pessoal.

"A mulher tem que assumir a decisão pela igualdade. E nesse ponto, é muito importante a participação não só das mulheres, mas também dos homens, no sentido de a gente ter uma sociedade mais justa, mais igualitária. Que cada um e cada uma assuma essa decisão de participar de uma sociedade igualitária sem preconceito de nenhuma ordem. Isso significa uma ação e uma decisão pessoal no sentido do não-preconceito, da não-injustiça, enfim, da igualdade", acredita.

O mais importante nessa eterna luta entre os sexos é entender que homens e mulheres jamais serão iguais. E não se considera aí, apenas as diferenças biológicas, estamos falando de comportamento, maneiras de pensar, de criação, de hábitos culturais e tudo o mais que faz a vida ter graça. Ao invés de ficarem lutando eternamente, homens e mulheres deveriam unir suas energias em nome de uma vida melhor.

O que seria das mulheres sem o jeito de sabe-tudo dos homens e o que seria dos homens sem a eterna meiguice feminina? Fundamental mesmo é que homens e mulheres se respeitem em sua individualidade, em suas potencialidades e limitações para que a sociedade possa, realmente, se considerar "moderna". Afinal, modernidade nada mais é do que um estado de espírito elevado e livre de preconceitos de qualquer espécie. Isso, sim é progresso!

No mais, Feliz Dia das Mulheres para todas as mulheres lindas, competentes e felizes. E Feliz Dia das Mulheres aos homens que têm a sorte de dividir a vida com um ser tão especial.

P.S.: Se você é uma mulher moderna, cansada de tantos deveres e obrigações que centenas de sutiãs queimados em praça pública lhe impôs, leia o desabafo Carta de Amélia. A autora é desconhecida, mas as reivindicações são bem pertinentes.

2 comentários:

  1. Feliz dia Internacional das Mulheres a todas!

    Espero que um dia a igualdade seja real e absoluta. Quando esse dia chegar não fará mais sentido comemorar esse dia. A verdade é que as mulheres merecem todos os dias em homenagem a elas.

    Um forte beijo para você Mari e um parabéns especial para você!

    ResponderExcluir
  2. Mais do que igualdade real e absoluta, eu prefiro que as diferenças sejam realmente respeitadas algum dia. Se fossemos todos iguais a vida seria uma grande chatice!
    Obrigada pelo carinho de sempre!
    (ainda que beeeeem atrasado)

    ResponderExcluir